+55 11 3105-2268 / +55 11 3242-1082
Horário de Brasília:

Todos os nossos leilões são realizados por ordem de um Juiz. Cada leilão é precedido de um edital onde consta o número do processo, nome do juiz, nome das partes entre outras várias informações jurídicas. Estes Leilões são realizados com a supervisão de um Juiz mediante condução de um Leiloeiro Público Oficial devidamente homologado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. 

Acesse aqui o Link da Homologação do leiloeiro Público Oficial Clécio Oliveira de Carvalho

Além disso, o nosso sistema eletrônico www.leilaooficialonline.com.br é habilitado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. A habilitação é publicada no Diário da Justiça Eletrônico (Diário Oficial) em 05/09/2012, 

ACESSE AQUI O LINK DA HABILITAÇÃO do site.

Não apenas o nosso site, mas quaisquer outros sistemas de leilões devem conter estas informações. Fique atento!

Para participar de nossos leilões o usuário deverá efetuar um cadastro no menu CADASTRE-SE.

Feito isso, deverá inserir cópias digitais de seus documentos e de forma on line, diretamente de seu perfil.

Nossa equipe analisará os documentos e efetuará a liberação de seu cadastro. Após isso, você poderá ofertar lances em qualquer leilão que desejar.

Após a liberação de seu cadastro, o usuário deve estar logado no sistema, escolher o lote que deseja e clicar em habilitar-se.

Após isso poderá registrar o seu lance.

O leilão eletrônico tem dia e horário para início e encerramento. Enquanto o lote estiver aberto o licitante poderá ofertar lances. Após encerrado o cronômetro, não é mais possível fazer oferta

Pelas regras, o pagamento deve ser à vista. No entanto, se não houver lances à vista o usuário poderá propor um lance de forma parcelada.

O lance parcelado é submetido à aprovação do juiz e, se aprovado, o licitante terá o prazo de 24h para comprovar os pagamentos: Sinal e comissão do Leiloeiro.

Consulte o link REGRAS DE PARCELAMENTO.

Todos os pagamentos devem ser efetuados mediante Guia de Depósito Judicial. Esta guia é vinculada ao processo onde está acontecendo o leilão.

O valor servirá para pagar dívidas do imóvel, o credor e outros credores do réu, a depender do caso.

O valor pago fica vinculado ao Juiz da Execução e somente é liberado aos credores, depois que o arrematante estiver na posse do imóvel e com a propriedade ou o direito registrado na matrícula.

Caso a arrematação seja desfeita por ordem judicial, o arrematante receberá todo o valor paga corrigido.

Para o arrematante desistir, deverá provar vício ou nulidade do leilão. Neste caso, o valor por ele pago é integralmente devolvido mediante ordem judicial.

Mas, caso o arrematante desista sem motivação legal, poderá ser punido com multa de 20% sobre o valor do lance além de outras despesas.

O registro do lance é irretratável e irrevogável. A partir do momento que você clicou em dar lance e confirmar, não tem mais volta. Todas as regras dos leilões, seguem as normas da Corregedoria Geral de Justiça e Conselho Nacional de Justiça. O Leiloeiro Oficial e sua equipe não estão autorizados a excluir lances em nehuma hipótese!

O mesmo juiz que mandou levar o imóvel a leilão, é quem vai dar uma ordem para despejar o ocupante. Não importa quem esteja ocupando o imóvel.

Para isso, o arrematante deve procurar consultoria especializada no assunto. Se não tiver alguém de sua confiança e desejar, consulte nossa assessoria pós-leilão.

Normalmente existem mais de uma penhora no mesmo imóvel. A partir do momento que a arrematação for registrada na matrícula, o novo adquirente (arrematante) poderá solicitar a baixa, a depender o caso.

Em primeiro lugar você precisa saber quanto isto vai te custar? Para ser um bom negócio é importante saber quanto vai pagar e se restará alguma dívida ao arrematante.

Em segundo, você precisa ter certeza de que aquele imóvel está em situação jurídica favorável para evitar o desfazimento da compra ou ainda ter algum custo sem previsão.

É o lance que condiciona a alguma situação peculiar. Por exemplo, um lance condicionado à quitação total de débitos condominiais.

O bem volta a leilão em data futura, porém, mais caro.

Todos os leilões do Tribunal de Justiça, via de regra, deve ter sua avaliação corrigida de acordo com a Tabela Prática do Tribunal de Justiça que acompanha o INPC.

Após o pagamento do lance, comissão do leiloeiro e despesas do leilão, o leiloeiro informará o juiz que a arrematação está regular. No mesmo ato, o Leiloeiro requisitará ao juiz a ordem de entrega do bem.

Com a ordem de entrega, o arrematante poderá se dirigir ao local e retirar o bem.

Lote é um conjunto de bens ou um bem que vai ser apregoado no leilão. Confira a descrição detalhada que aparece em cada lote e fique atento se existe um link abaixo da descrição detalhada escrito, informações complementares onde você poderá ver outras informações.

O leilão é público. Ou seja, qualquer pessoa física ou jurídica que tenha capacidade civil pode participar. Inclusive os familiares do réu.

Basta se cadastrar e concordar com as regras estabelecidas no edital e Condições de Venda e Pagamento do Leilão.

Não é feita avaliação de crédito mesmo que em caso de parcelamento do lance.

O leilão é uma modalidade de venda segura e mais democrática do que a venda entre particulares. É a única oportunidade legal que o proprietário tem para estimular uma disputa por seu bem. 

Qualquer pessoa, física ou jurídica pode colocar seus bens em leilão. 

Consulte nossa equipe no link QUERO VENDER

Exclusivamente nos leilões judiciais, o mesmo juiz que mandou levar o imóvel a leilão determinará a posse em favor do arrematante sem a necessidade de ajuizamento de ação de imissão na posse. A desocupação ocorre entre 02 e 05 meses, dependendo do caso.

No caso dos leilões extrajudiciais (leilão de bancos) o arrematante deverá ajuizar ação própria para a desocupação.

Para a desocupação é necessário um consultoria especializada. Se você tiver, consulte nossa assessoria pós leilão.

É o primeiro passo em direção ao registro de sua propriedade. O auto de arrematação é um documento público que deve ser assinado pelo leiloeiro, arrematante e juiz e será peça fundamental para instrução da Carta de Arrematação (sua escritura).

Neste caso o leiloeiro oficial comunica ao Juiz da execução que poderá lhe aplicar multa de até 20% sobre o valor do bem. O nome do arrematante remisso é incluído no Cadastro de inadimplentes além do Cadastro Nacional de Remissos (CNR) e não poderá mais participar de leilões. Além da multa, será condenado ao pagamento de despesas do leilão e comissão do leiloeiro que poderá executar o título.

No caso de leilão judicial, onde exista um conflito, o leilão ocorre para pagamento de dívidas do executado. Dependo do caso, o leilão é para o pagamento de débitos do próprio imóvel. Na maioria das vezes o arrematante não leva consigo débitos.

O leilão extrajudicial acontece a partir da retomada de um bem por bancos ou qualquer credor que tenha para si a propriedade oriunda de alienação fiduciária.

Pode ocorrer também por livre escolha de qualquer pessoa, física ou jurídica, que desejar desfazer de seus bens através do leilão.

O leilão Judicial ocorre por ordem de um juiz dentro de um processo judicial.

O extrajudicial, por livre inciativa do proprietário do bem (móvel ou imóvel) ou por força da alienação fiduciária.

Faça o seu cadastro que frequentemente receberá um e-mail com imóveis ou bens de seu interesse. Mesmo assim não deixe de entrar em nosso site frequentemente. Nossos leiões normalmente encerram em meados do dia 20 de cada mês.

Nunca deixe para última hora. No dia do leilão, dez, vinte minutos parecem bastante tempo. Já vimos pessoas terem problemas de última hora e perdem o leilão. 

Muitas pessoas ainda têm dificuldades ou medo em ofertar lance.

Se isso acontecer com você, ligue em nosso escritório que um membro de nossa equipe vai acompanhar passo a passo.

Outra opção é você escolher uma pessoa da sua confiança para o momento de ofertar seu lance.

 

Não encontrou sua dúvida nas opções acima?

Use os contatos ou o formulário abaixo para entrar com contato.